domingo, 1 de julho de 2012

Lados

Já parou pra pensar no lado que não é o ruim puro, mas o que seria tão além de ruim, seria assustador e desse modo não é pessimista, mas é tão otimista que te faz se sentir confortável nas perspectivas que te acontecem?
Todos os dias tentamos fechar o coração, pra nossa defesa própria, dizemos que ele está congelado, que é de pedra... (coração de pedra não faz sistole, não bombeia... dificil viver assim, ein?) já pensou um dia acordar e realmente descobrir que não tem coração? Você nunca mais iria sentir nada, quereria desesperadamente sentir, nunca poderia mesmo viver, porque não se apaixonaria não só por pessoas, mas por coisas, seus animais não te bastariam, sua carreira não te bastaria, você nem conseguiria achar uma, nunca acharia nada que gostasse! Viver sem um coração, no sentido figurado é tão dificil quanto viver sem ele literalmente, seria viver em sentido vegetativo.
Por outro lado, assustador, amedrontador, e não sei se do mesmo otimismo, me ocorreu que é triste não ter ninguém pra compartilhar sua alegria, seus bons momentos, imagine o quão triste seria não ter pra te ajudar nos péssimos, bem, talvez o otimismo esteja ai, você ainda não teve um mal momento tão ruim que lamentasse por tudo estar sozinho, você nunca morreu na sua vida, pense morrer sem ter ninguém por quem você queria viver, seria uma vida além da sua, eu penso. Eu acabei de pensar que ademais eu não ter ninguém pra compartilhar os bons momentos, poderia estar morrendo sem ninguém pra me dar um último beijo. Pois o meu medo não é da morte, é da vida que a precede! Vai doer estar lá até ela chegar, por que quando ela estiver lá, eu não estarei.

Nenhum comentário:

Finais são bençãos ambivalentes.